Cloud computing: o guia completo!

A transformação digital já é uma realidade nos mais variados setores do mercado. Nesse contexto, a nuvem é uma das tecnologias essenciais para impulsionar essa mudança nas empresas.

Ainda assim, é natural se deparar com algumas dúvidas sobre o assunto. Afinal, com que profundidade você entende a cloud computing?

Criamos este guia completo para tirar eventuais dúvidas e esclarecer as principais características dessa tecnologia!

O que é cloud computing?

A computação em nuvem é a tecnologia que permite o uso remoto de recursos digitais por meio de uma conexão com a internet. Mais do que simplesmente acessar arquivos armazenados em um servidor cloud, ela coloca à disposição do usuário diferentes ferramentas e programas.

O conceito básico — e mais conhecido — é o do armazenamento remoto. Você salva um arquivo em um servidor externo e pode acessá-lo do próprio computador. O ponto é que houve uma grande evolução da conexão com a internet, sobretudo no que diz respeito à velocidade e à largura da banda.

Em uma perspectiva mais ampla, podemos executar diversas outras atividades por meio da cloud computing. O Google Docs (edição de textos), o Spotify (streaming de áudio) e a Netflix (streaming de vídeo) são três bons exemplos de serviços baseados na nuvem amplamente conhecidos.

As possibilidades vão além. Como detalharemos mais à frente neste guia, empresas podem hospedar praticamente sua infraestrutura inteira na nuvem, bastando ter dispositivos com acesso à internet para usar esses recursos.

É isso que permite o surgimento cada vez mais rápido e simplificado de startups inovadoras e serviços disruptivos.

A importância da cloud computing para o mercado atual

A dinâmica do mercado é cada vez mais acelerada. Isso é motivado, em parte, pelo próprio potencial da tecnologia. Afinal, quem investe em inovação pode oferecer serviços e produtos mais interessantes para conquistar os clientes.

O fato é que isso também torna a inovação uma necessidade, pois sem ela as empresas perdem espaço no mercado. Logo, a cloud computing deixou de ser apenas um diferencial e se tornou uma questão de sobrevivência para organizações dos mais variados setores.

Não faz sentido para uma pequena ou média empresa, por exemplo, investir em hardware para ter um servidor inteiro no seu prédio se ela pode armazenar seus dados na nuvem por um preço mais acessível.

A mesma lógica se aplica ao uso de softwares e outros recursos. Com a nuvem à disposição, as análises de investimento tendem a favorecer a contratação de um serviço em vez de comprar equipamentos, exceto em casos específicos.

Logo, a cloud computing se tornou uma das protagonistas da era da transformação digital. Não é à toa que, segundo a Gartner, cerca de 45% dos gastos de TI serão transferidos para a nuvem até 2024.

A tendência é que novas soluções continuem a ser desenvolvidas de maneira cada vez mais personalizada.  Assim, as empresas podem focar na estratégia de negócios e contar com o que há de melhor em tecnologia sem precisar implementar hardware e software internamente.

Os impactos disso, como mostraremos a seguir, são muito positivos.

Os 4 principais benefícios da cloud computing

A computação em nuvem gera vantagens em diferentes aspectos de um negócio. Para começar, temos a questão financeira.

1. Redução de custos e otimização do investimento

Investir em cloud computing permite que a empresa gaste menos com infraestrutura.

Não se trata apenas de reduzir o custo de aquisição de hardware e software, mas da própria instalação e manutenção desses ativos, que geram mais despesas.

A cloud é mais econômica, abrindo margem para que a empresa invista melhor seus recursos.

2. Economia de espaço

Graças à cloud computing, as empresas podem reduzir o espaço necessário para manter suas atividades.

Os servidores passam a ficar hospedados no provedor do serviço, o que abre margem para o próprio home office ou a descentralização das atividades. Em muitos casos, não é mais necessário reunir todos os funcionários em um único ambiente.

Vale destacar que isso também traz uma redução de custos com a manutenção predial e com o aluguel. Algumas empresas já operam até mesmo sem uma sede fixa, operando principalmente a partir de espaços de coworking e do home office.

3. Centralização de dados

Enquanto as equipes podem ficar mais livres e espalhadas, os dados são centralizados em um único ambiente — o que tende a ser mais seguro, estável e acessível.

Empresas com filiais espalhadas pelo país ou pelo mundo, por exemplo, podem integrar seus bancos de dados para facilitar o acesso e a própria gestão desses recursos.

4. Flexibilidade e escalabilidade

Uma empresa que usa com inteligência os recursos da cloud computing se torna mais flexível, podendo ampliar ou reduzir sua infraestrutura conforme sua demanda de trabalho.

Isso significa que os custos se ajustam conforme o uso, evitando o desperdício de recursos e dinheiro. Na prática, podemos responder com mais agilidade às demandas do mercado.

A infraestrutura pode ser escalada com mais facilidade e, consequentemente, isso ajuda a impulsionar o crescimento do negócio.

As funcionalidades da cloud computing

Como mencionamos no início do guia, a cloud computing vai além do armazenamento remoto de arquivos e dados. Entenda melhor como a nuvem funciona e que recursos ela tem a oferecer.

Software as a Service (SaaS)

Uma funcionalidade básica da cloud computing é o SaaS, que oferece o acesso a um software específico por meio da conexão com a internet. O Google Docs e o Google Sheets são bons exemplos de aplicações SaaS — ou seja, são editores (de texto e planilhas) similares aos que podemos instalar no computador, mas que funcionam na nuvem.

Platform as a Service (PaaS)

A Plataforma como um Serviço, ou PaaS, inclui um ambiente mais amplo, geralmente com um sistema operacional capaz de rodar diversas aplicações.

Outros recursos comuns no PaaS são o ambiente para execução de linguagem de programação (terminal), um servidor web, bancos de dados etc. A AWS Elastic Beanstalk, o Apache Stratus e o Google App Engine são três soluções PaaS muito utilizadas pelas empresas.

Infrastructure as a Service (IaaS)

A Infraestrutura como um Serviço, como o próprio nome sugere, traz ao usuário o acesso a todos os recursos do hardware em questão. Além de máquinas físicas, isso pode incluir máquinas virtuais, bibliotecas de imagem, firewall, endereços IP etc.

A Amazon EC2 e o Windows Azures são dois bons exemplos de IaaS.

Function as a Service (FaaS)

Outro serviço interessante é o FaaS, que provê um ambiente completo para o desenvolvimento de funcionalidades para aplicações. Seu diferencial é facilitar o trabalho do desenvolvedor ao fornecer um ambiente totalmente pronto, para que o usuário não tenha que criá-lo a partir do zero.

Container as a Service (CaaS)

O CaaS é um serviço de virtualização baseado em container. Um dos seus benefícios é a portabilidade de códigos. Em outras palavras, o CaaS oferece ambientes separados para o desenvolvimento e lançamento de aplicações em diferentes linguagens de programação.

Os diferentes tipos de cloud computing

As funcionalidades acima mostram o que sua empresa pode alcançar a partir dos serviços de cloud computing. Contudo, existem outros critérios que também precisam ser levados em consideração na hora da escolha.

Estamos falando do tipo de nuvem, algo que todo gestor ou profissional da TI deve conhecer. Confira quais são eles.

Cloud pública

A nuvem pública traz todo o conjunto de recursos que os usuários precisam em um ambiente que qualquer pessoa pode acessar. Isso não significa que outras pessoas terão acesso aos seus dados, mas o ambiente como um todo é particionado.

É de responsabilidade dos clientes enviar e gerenciar os arquivos. O provedor, por sua vez, faz a manutenção do sistema, além de cuidar da sua segurança e do gerenciamento dos recursos. O uso é simultâneo, mas separado. Por isso, a cloud pública tende a ser mais barata.

Cloud privada

Já o usuário de nuvem privada tem o domínio completo do ambiente em questão. Você pode gerenciar credenciais de acesso para colaboradores da empresa e outros usuários, mas o ambiente não será particionado para outras pessoas além dessas.

Um dos benefícios desse modelo é o nível de personalização que ele oferece. Todos os processos são direcionados para atender à sua demanda.

Isso significa uma garantia maior de desempenho e segurança, por exemplo — o que não significa que a nuvem pública é vulnerável. Essa questão depende mais da eficiência do provedor do serviço.

O ponto é que a cloud privada pode ser configurada de acordo com as preferências da sua empresa para entregar resultados melhores.

Cloud híbrida

A nuvem híbrida, como o próprio nome sugere, é uma combinação da nuvem privada com a pública. A vantagem é poder direcionar seus dados e aplicações para cada um dos ambientes de acordo com sua necessidade.

Trata-se de uma alternativa interessante para quem quer manter dados sensíveis em um ambiente privado e reduzir custos com os outros recursos.

Cloud comunitária

O modelo de comunidade também é uma espécie de combinação da nuvem pública com a privada. A diferença é que essa cloud é formada por um grupo de usuários com interesses comuns.

Em geral, é uma estratégia adotada por um conjunto de empresas que quer reduzir custos e, ao mesmo tempo, ter os benefícios de uma nuvem privada.

Algumas utilidades da cloud computing

A nuvem alcançou um nível tão alto de popularidade que você pode estar usando uma aplicação cloud neste exato momento sem perceber. Seja para ouvir músicas, seja para acessar o app do banco, seja para comprar um livro, a cloud está em praticamente todo lugar.

Se quer ter uma noção mais ampla do potencial dessa tecnologia, confira alguns exemplos de atividades que podem ser realizadas com o apoio da nuvem:

  • Criar aplicações (de uso local ou na própria nuvem);
  • Testar e criar aplicativos (PC ou mobile);
  • Armazenar dados (em servidor tradicional ou backup);
  • Analisar grandes conjuntos de dados (Big Data);
  • Transmitir áudio e vídeo;
  • Usar aplicações com Inteligência Artificial (IA);
  • Hospedar um software para oferecer como SaaS aos seus clientes;
  • Rodar e gerenciar um e-commerce (loja virtual);
  • Compartilhar e transferir arquivos.

A lista pode se estender ainda mais. Por isso, uma dica importante é se manter atualizado em relação às novas formas de usar a cloud computing a seu favor.

Os serviços à disposição no mercado

Existem diversos serviços de nuvem na internet, o que pode gerar uma dúvida: afinal, como escolher o melhor para a minha empresa e o mais confiável? Algumas dicas podem ajudar, a começar pela identificação das demandas da sua empresa.

É importante estudar o mercado e entender como a nuvem pode ajudar sua organização a ser mais eficiente e ganhar clientes. A partir disso, você pode buscar fornecedores de acordo com a funcionalidade (IaaS, SaaS, PaaS etc.) e o tipo de nuvem (pública, privada, híbrida ou comunitária) que você precisa.

O próximo passo é buscar uma empresa confiável e de boa reputação no mercado. A Microsoft é um bom exemplo disso. Um dos seus serviços de nuvem é o Office 365, que oferece um ecossistema completo com diversas soluções para suas equipes, além da qualidade e confiabilidade que só a Microsoft tem para oferecer.

Vale destacar que todo esse processo pode ser mais fácil se você tem o suporte de especialistas. A S4R, por exemplo, é fornecedora de serviços cloud Microsoft e referência em consultoria especializada para automatização de processos, softwares e serviços de tecnologia.

Com essa expertise trabalhando a seu favor, você identifica as oportunidades de modernização e insere a cloud computing de maneira estratégica na sua empresa. Vale a pena otimizar esse processo e fazer da nuvem um diferencial competitivo.

Quer entender melhor como isso pode ser feito no ambiente específico da sua empresa? Então, entre em contato com a S4R e fale com quem é especialista no assunto!

Fechar Menu